magazine

Saiba as novidades e notícias da Eurofutton

Ler e-mails na manga da camisa? Tecnologia portuguesa junta eletrónica e têxtil

segunda-feira, 21 janeiro 2019
António Vasconcelos Moreira
Jornal Económico

Tecnologia desenvolvida em parceria com a Universidade de Aveiro permite criar peças de roupa com ecrãs tácteis. Trata-se de uma técnica inovadora permite integrar dispositivos baseados em grafeno diretamente em fibras têxteis, mantendo o aspeto, flexibilidade e toque de tecido.

Imaginar ecrãs tácteis em peças de roupa já não é exclusivo dos livros de ficção científica e, apesar de ainda não ser possível ler uma e-mail na manga da camisa, já existe tecnologia portuguesa que, a breve trecho, tornará esta possibilidade numa realidade.

Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro “ajudou a desenvolver uma técnica pioneira que permite que fibras totalmente eletrónicas sejam entrelaçadas em tecidos têxteis”, revelou a universidade em comunicado, esta segunda-feira. “A descoberta pode revolucionar a criação de dispositivos eletrónicos vestíveis para uso numa variedade de aplicações diárias, desde o acesso ao correio eletrónico até aos diagnósticos médicos”.

Uma parceria entre o CICECO – Instituto de Materiais de Aveiros, uma das unidades de investigação da Universidade da Aveiro, o centro belga de investigação em têxteis CENTEXBEL e a Universidade inglesa de Exeter, desenvolveu uma tecnologia que “integra os dispositivos eletrónicos no tecido, revestindo fibras eletrónicas com componentes leves e duráveis que permitirão que imagens e sinais luminosos sejam mostrados pelo próprio tecido”.

Esta nova técnica contrasta com o que se tem vindo a fazer até agora e que consiste em colar dispositivos nos tecidos das roupas, tornando-os rígidos.

Helena Alves, investigadora do CICECO, explica que a técnica que ajudou a desenvolver consiste numa técnica “que permite integrar dispositivos baseados em grafeno diretamente em fibras têxteis, mantendo o aspeto, flexibilidade e toque de tecido”. No entanto, a parceria ainda só criou “sensores de toque, tal como os usados nos ecrãs sensíveis ao toque, e dispositivos que emitem luz” disse.

De resto, os investigadores frisaram o potencial da nova tecnologia que poderá revolucionar a forma como consultamos informação, ao introduzir ecrãs táteis na roupa.  “A criação de dispositivos eletrónicos vestíveis para uso numa variedade de aplicações diárias, seja no simples acesso ao email através da roupa, seja na monitorização do estado de saúde através de sensores que permitem medir, por exemplo, a frequência cardíaca e a pressão arterial, e avisar quando algo está mal”, lê-se na nota.

A investigadora do CICECO garantiu ainda que “a combinação destes dispositivos permite, por exemplo, criar touch-screens em tecidos ou objetos revestidos com têxteis, para visualizar informações”.

partilhe está página
subscrever a nossa newsletter
Receba em primeira mão as nossas notícias e novidades
Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais